Arribas e derrocadas atraem 'adrenaline junkies'

20110816-222734.jpg

As praias de Portugal estão definitivamente na moda. Os últimos clientes são os adrenaline junkies (viciados em adrenalina) do Norte da Europa. Vêm às centenas, todos os dias, sobretudo para as praias do Algarve e de Peniche. Segundo o Presidente da Câmara de Peniche, Alípio Gomes Paiva, “muito embora o acidente mais recente se tenha dado na praia de São Bernardino, isso não significa que não haja mais praias por onde escolher”. Os adrenaline junkies procuram emoções fortes, gostam de arriscar a vida pelo simples prazer de conseguir um adrenaline high que, segundo dizem, só se consegue através de práticas que consideram extreme.

Sven Mjalbi, um “meio-sueco-meio-dinamarquês brincalhão”, como gosta de se denominar, já não consegue passar um dia sem ver os sinais amarelos de PERIGO/DANGER das falésias portuguesas. “Já sou um viciado há mais de 10 anos e tenho percorrido o mundo para conseguir o ultimate adrenaline high. Nada, até hoje, supera o que se consegue nas praias portuguesas. O risco é enorme e tudo pode acontecer. Tudo é fantástico, aqui!”

Sven viajou para Portugal pela primeira vez há uns anos, com a namorada Heidi, logo após a derrocada na praia Maria Luísa, em Albufeira. “Na altura, viemos à aventura, para explorar. Vimos que o país tinha potencial, pois não fazia monitorização do risco de derrocada. Além disso, tem centenas de praias, em cerca de 1000 kilómetros de costa… parecia perfeito! Agora, temos um bom conhecimento das falésias portuguesas, de Norte a Sul do país. O Governo diz que há 150 praias com risco de derrocada, mas nós e os nossos amigos sabemos que existem mais 93. As 150 são só as mais frequentadas pelas massas, mas as restantes 93 são pequenas, charmosas, quase desertas mas mais perigosas, só para conhecedores. É para essas que eu gosto de ir com a minha família.”

Depois de nos últimos anos terem conseguido centenas de bandeiras azuis, que atraíram famílias, e tendo também ficado conhecidas pelos adeptos dos desportos de mar, como o surf e o windsurf, as praias portuguesas conseguem agora mais um feito de monta, com as suas falésias perigosas. Para o Primeiro Ministro, “isto é mais uma prova da vitalidade do nosso país e das capacidades dos portugueses em superar dificuldades. Tudo isto vai ajudar Portugal a sair da crise. Isto é História! Estamos a fazer História. Não esqueçamos que os adrenaline junkies são turistas com elevado poder de compra e que viajam normalmente em grupos grandes, causando o chamado efeito multiplicador na economia.”

Alípio Gomes Paiva, por seu lado, já disse que quer tornar Peniche na Capital Mundial da Derrocada na Falésia. Para promover esta denominação, tem já agendada uma série de eventos alusivos, como o Killer Beach Summer Fest, que terá apresentação da basquetebolista portuguesa da WNBA, Ticha Penicheiro. “A ideia foi minha, porque o melhor da Ticha é ser Penicheiro!”, brinca o Presidente da Câmara.

Além disso, está já à venda o livro vencedor do primeiro concurso de escrita Peniche Rocks para jovens até aos 13 anos, ganho pela pequenita Petra da Costa com a obra intitulada Joãozinho e o Pedregulho.


TUDO O RESTO

2 Comments → “Arribas e derrocadas atraem ‘adrenaline junkies’”

  1. ... 5 years ago   Reply

    nada bem!

  2. :-) 5 years ago   Reply

    muito bem!! :-))

Leave a Reply