Sporting prepara o jogo da Taça

Sporting Taça de Portugal

Copyright: 2009 Maurício de Sousa Produções Ltda.

Fui lá espreitar o adversário

A propósito dos milagres de Alvalade, fui fazer as minhas _recherches_. Fui ver quem são mesmo os Pescadores da Costa de Caparica (de, no original), através dos quais o Sporting foi tocado por graças do aleluia.

Queria saber mais. Quem são eles? Donde vêm? Para onde vão? Não basta saber que são da outra banda. O verdadeiro adepto, como aquele cozinheiro amigo da Serenella, quer ver tudo, saber tudo, sempre mais. Por isso, o verdadeiro adepto vai conhecer o adversário. Vai ao lugar, à toca do lobo. Vai fazer o tal de scouting.

Mais ou menos por ser um verdadeiro adepto mas sobretudo para me entreter na hora de expediente, lá fui eu investigar o site dos Pescadores da Costa. Queria saber mais acerca desta misteriosa equipa e dos seus jogadores. Vendo bem, estão envolvidos, penso que sem disso terem conhecimento, nesta grandiosa Obra de fazer o meu Sporting conseguir ganhar um jogo. Queria saber coisas acerca do seu estádio, da sua relva, da capacidade das bancadas, em que divisão é que jogam, entre outras realidades.

Pelas fotografias, o relvado deles parece bem melhor do que o nosso, que até é novinho em folha. A gente nisso, por acaso, vive um bocado à grande. Na esbanja. Comprámos seis relvados novos em seis anos! Tão grande é o esforço dos nossos Leões a correr atrás daquela bola que a relva se despega. E, ao contrário do que agora se diz por aí, não penso que seja responsabilidade do arquitecto. Isso seria desvalorizar o esforço posto em campo.

Estou a pensar é que talvez se pudesse fazer aqui um intercâmbio de jardineiros, entre o Sporting e os Pescadores. Nos bons velhos tempos, claro, não era preciso cá intercâmbio nenhum. Bastava irmos ali à Costa, até à praia, e pelo preço duma caldeirada e umas cervejolas comprava-se-lhes os jardineiros. Mas claro que, de momento, não temos esse tipo de pujança económica. É preciso pagar o transporte entre esta banda e a outra (duas viagens, mais a portagem), mais a caldeirada e a bebida. É muito, pá. E um pescador deve comer bem e beber melhor.

É preciso reconhecer que, infelizmente, na conjuntura actual isto não pode ser feito. Não dá. Penso mesmo que em Portugal só um Benfica e, talvez, um Porto o conseguissem fazer (muito embora aqui não tenha a certeza, viajando de mais longe…). Neste tempo de vacas magras, só conseguimos elementos de categoria para o nosso staff em free transfer (como, por exemplo, o Angulo e o Carlos Carvalhal) ou por empréstimo (como o belo Caicedo).

Bem, mas dizia eu que estava a fazer scouting no site do adversário. Eis senão quando, reparo que toda a equipa gira à volta dum jogador: o Sandro Vicente!

Bom, na realidade, foi-me tudo dito pelos próprios Pescadores.

Diz assim o site oficial dos Pescadores da Costa de Caparica:

“Sandro Vicente volta aos Pescadores para a equipa sénior. Formado nas escolas dos Pescadores, Sandro Vicente esteve nos quadros da equipa sénior do Vitória de Setúbal com o treinador Carvalhal, tendo depois tentado na época passada uma experiência no futebol Romeno
Este ano realizou vários jogos pelo Monte da Caparica.
Sandro é médio centro e tem 22 anos.”

Bolas! É mesmo preciso ter sorte para se ser um bom scout. Não basta ser bom. “Formado nas escolas dos Pescadores”, Roménia, Monte da Caparica, Vitória de Setúbal… “com o treinador Carvalhal”! Nao sei se estão bem a ver isto: com o treinador Carvalhal. Eh pá, isto aqui tem que haver qualquer coisa meio do âmbito do paranormal. Isto não podem ser só coincidências. Há aqui qualquer coisa que assusta. Aliás, se alguma coisa me acontecer em breve, recomendo que esqueçam que alguma ver leram isto e que pensem nas vossas famílias.

Adiante. O Sandro Vicente promete ou não promete? Promete!

Aposto que enquanto estava no Setúbal “com o treinador Carvalhal” o Sandro conheceu o Francisco Esgadelhado, que é um médio de categoria, que também jogava no Setúbal e que agora, nestas voltas engraçadas que a vida dá, ostenta orgulhosamente o número 6 da equipa dos Pescadores. Deve portanto ser um médio de características defensivas, o Francisco Esgadelhado. Um médio destes nunca é um miúdo-maravilha, mas é sempre importante porque trabalha e desfaz o jogo ofensivo do adversário. Mesmo que seja tosco, o que interessa é seja raçudo. Portanto, está visto que os Pescadores têm a sua grande força no centro do terreno, em virtude de lá terem estes dois elementos. Está feito.

E é assim o bom scouting: um misto de entender bastante do assunto, claro, mas também alguma estrelinha. Confesso que não esperava mas, bom… é isto o futebol.


[publicado originalmente em Magazon]


FUTEBOL

Trackbacks For This Post

  1. Por favor, importavam-se assim tanto de contratar um lateral-esquerdo? : Magazon - 5 years ago

    […] na segunda, mesmo contratando à sorte… Vão ao Feirense. Ou ao Beira-Mar. Eh pá!, vão aos Pescadores da Costa de Caparica! Comprem um lateral-esquerdo que eles tenham para lá. Um qualquer! Não pode ser pior do que o […]

Leave a Reply