Milagres para ti, milagres para mim

Milagres - Serenela Andrade

Não há só milagres na Luz.

Estou muito triste e preocupado com o meu Sporting. Tenho pena que toda aquela malta boa tenha saído e duvido que alguém consiga fazer muito melhor.

Mas alguém vai ter que vir. Se não puder ser o Paulo Sousa, então talvez o Jorge Gabriel. Parece que foi treinador dum clube dos distritais e como é um grande comunicador…

(Embora, na minha opinião, não tão grande como a Serenella Andrade.)

O Sporting desorientado e um Benfica do caraças. Confesso que, de há uns anos para cá, tenho-me vindo a tornar um pouco portista, porque o Porto tem sido o único a levantar o esplendor de Portugal e isso é muito importante para um emigra. Mas este ano, pá, cum camandro, perdido por 100, perdido por 1000, estou a tornar-me benfiquista! É do chimano. Vamos lá ver se dura!, espero que sim. Especialmente na Liga Europa, porque eu quero ganhar um título este ano.

No Domingo, vi o meu Sporting jogar mal contra o Rio Ave e foi mesmo mau. Não foi o pior da época, mas foi suficientemente mau para eu estar desejoso de ver o Rio Ave jogar bem, dar baile e ver o João Tomás marcar dois golos à Caicedo.

Mas nem tudo está perdido porque não há só milagres de Jesus na Luz. Milagres também os há em Alvalade. Ele é não só nos ter calhado em sorte, brincas, os Pescadores da Costa da Caparica para a Taça mas ele é também os jogos em que os nossos avançados jogam andebol, sem o árbitro ver. Quando jogamos andebol, marcamos golos. Um golinho destes foi contra o Ventspils, e valeu três pontinhos.

Agora só faltam uns milagres na Liga Portuguesa, fundamentais para a fuga à despromoção. Relembro aos mais distraídos que o Leixões já só está a 6 pontos. Está num momento de forma muito superior ao nosso e, mais dois jogos, somos apanhados.

Voltando ao jogo de Domingo passado: infelizmente para os nossos adversários do Rio Ave, que ambicionam a um lugar europeu, no momento em que eles NÃO jogaram andebol (na minha modesta opinião de emigra), o árbitro entendeu que eles o tinham feito e, como isso é não é permitido, marcou penálti a favor do meu Sporting. Foi bonito. Desta vez o árbitro protegeu os pequeninos, que lutam arduamente, dia-a-dia, todos os dias.

Mas para mim, o melhor deste fim-de-semana (para além da vitória do grande Muareit sobre o Porto) foi ver o Caicedo jogar. Este jogador é um espectáculo e vale bem muitos milhões. Ele, amiguitos, é, quanto a mim, a prova viva de que quando queremos realmente uma coisa, conseguimo-la. E o jovem Caicedo queria mesmo ser jogador de futebol.

Mais ainda, pelo cabelo, vê-se bem que ele queria também ser músico de reggae. E isto é incrível: ainda deve ser melhor músico do que jogador de futebol.

Portanto, nada de desistências, amiguitos: quem porfia, sempre alcança!


[publicado originalmente em Magazon]


FUTEBOL

Trackbacks For This Post

  1. Quem vai ser o campeão de Natal? : Magazon - 5 years ago

    […] Na verdade, neste fim-de-semana que passou tudo foi mais ou menos normal. Eu e os outros 17 sportinguistas espalhados pelo mundo tivemos de deixar de pensar que, com um bocado de sorte, o Carvalhal até seria tipo para resolver os nossos problemas. Perdemos 1-0, em casa, contra o Leiria. Fizemos tudo para ganhar, mas está visto que não conseguimos lá chegar com arbitragens isentas. […]

Leave a Reply